Cromoterapia e Reiki no tratamento da síndrome do abandono

06/07/2017

Essa é a história do Klipo. A sua própria tutora conta tudo através do seu depoimento. Ela cooperou com muita dedicação durante o tratamento e o resultado foi um sucesso.

 

19074029_10209160450520614_629605467_n LOGO.png

"Meu nome é Solange Ruiz, moro na Vila Ema, em São Paulo. Esse é meu cachorro, um Yorkshire​. O nome dele é Klipo, ele tem 4 anos. É um cachorro muito dócil e bonzinho, típico da raça. Há uns meses vim observando um comportamento estranho no Klipo. Ele começou a lamber muito as patinhas e eu não podia sair nem para jogar o lixo, coisa de 6 minutos, que ele latia desesperado, arranhava a porta e começou a comer muito. Meus vizinhos diziam que quando eu saía ele fazia muito barulho, latia sem parar como se estivesse desesperado. Vou tentar explicar o que aconteceu resumidamente para que todos possam entender o porquê de tudo isso. Há exatamente um ano atrás eu passei por um momento muito delicado e triste da minha vida. Em fevereiro de 2016, meu pai tinha 81 anos, ficou adoentado e veio ficar em minha casa para cuidar da saúde. Foi nessa época que meu cachorro começou a ficar diariamente ao lado dele. Quando meu pai tossia, o Klipo subia no peito do meu pai no sofá, cheirava o nariz dele e saía correndo para me avisar: au au au au au! Kkkk. E assim foi por alguns meses, até o dia em que meu pai foi para o hospital e ficou internado. Nessa época eu não tinha tempo para observar o Klipo e perceber que ele já estava triste. Ele começou a lamber as patas compulsivamente. Meu pai ficou internado 28 dias e infelizmente veio a óbito. E mais uma vez, em minha correria deixei o Klipinho em casa sozinho.Só deixei a chave com a vizinha para colocar água e ração. Fiquei três dias fora, viajei para resolver as coisas burocráticas do sepultamento do meu pai. O Klipo vivenciou todo esse processo, e com isso ficou abalado emocionalmente, e adquiriu a síndrome do abandono. Fui pesquisar sobre o assunto e todos os sintomas dessa síndrome eram o que o Klipo apresentava. Foi aí então, que sem saber o que fazer, consultei a médica veterinária Elisângela Tavares, que me indicou o tratamento: algumas sessões de cromoterapia e Reiki. O Klipo fez quatro sessões e foi o suficiente para ele voltar a ser o Klipinho de antes. Está comendo menos, não lambe mais as patinhas e não está mais latindo desesperadamente quando eu saio. Perguntei para os meus vizinhos e eles disseram que ele está super quietinho. Estou muito satisfeita com o resultado. E o melhor de tudo! atendimento domiciliar, o que ajuda muito no resultado porque o animal está em seu ambiente, não vai estranhar nada. Muito mais fácil para relaxar. Obtivemos um resultado satisfatório não só pelo fato de ser atendimento domiciliar, mas também por todo processo ter sido feito com muito profissionalismo e amor. Eu super indico!".

Veja no vídeo abaixo, o Klipo relaxando durante o tratamento.

    

Ficamos felizes que a Solange e o Klipo conquistaram a tranquilidade de volta ao seu dia-a-dia. 

IMG_4995 (Editado).JPG

Deixe seu comentário: